Fui abortada e não morri

Assista o vídeo aqui!

Gianna Jensen, um milagre vivo: “Sei que vou falar sobre algo desconfortável, mas eu não sobrevivi para fazer vocês se sentirem confortáveis”


“Eu me chamo Gianna Jessen. Gostaria de agradecer pela possibilidade de poder falar hoje. Não é pouca coisa dizer a verdade e depende unicamente da graça de Deus poder fazê-lo. Tenho 23 anos, fui abortada e não morri”.

Começa assim o testemunho de Gianna, nascida na trigésima semana de gravidez, depois de uma tentativa falha de aborto. O feto sobreviveu mesmo com a injeção de uma solução salina no útero e foi expulso, ainda vivo, apesar das 18 horas de exposição à solução. A asfixia causada pela solução salina causou uma paralisia cerebral e muscular na criança. Adotada aos 3 anos, superou as dificuldades motoras causadas pela paralisia e conseguiu caminhar sem ajuda, mas com muita dificuldade. 

Menina do Senhor

Gianna fala de si mesma como a menina de Deus, e diz: “na minha face está escrito ‘me trate bem porque meu Pai é o dono do mundo’”. Porque o amor daquele Pai, ela sente de maneira tão forte dentro de si, que pode ousar dizer: “Sei que falo de coisas desconfortáveis, levando Jesus Cristo em certos ambientes, mas não sobrevivi para fazer com que se sintam cômodos”. 

Gianna Jessen é evangélica e consegue falar com uma linguagem não toda “religiosa”, mesmo falando do Reino dos Céus, é capaz de aquecer o coração dos católicos, cristãos em geral e de qualquer um que busque sinceramente Deus na sua vida.
 

Mensagem diária (Extraída de uma das leituras do dia) Quinta-feira 16ª semana do Tempo Comum - 23/07-2014

Elogios aos antepassados

1 [Elogio dos antepassados.] Façamos o elogio dos homens ilustres nossos 
antepassados através das gerações.
2 O Senhor manifestou uma imensa glória, a sua grandeza desde os tempos antigos.
3 Alguns exerceram o poder em seus domínios, foram renomados em força e dotados 
de prudência, e expressaram-se em profecias.
4 Outros guiaram o povo com seus conselhos e com a sua habilidade em escrever, e 
na sua instrução estavam as palavras da Sabedoria.
5 Outros, ainda, excogitaram cantos melodiosos e compuseram os poemas das 
Escrituras.
6 Outros foram ricos e dotados de força, zelosos na busca da beleza e viveram em 
paz nas suas casas.
7 Todos esses alcançaram glória entre as gerações do seu povo, já louvados desde 
os dias de sua vida (Eclo 44,1-7)

Como estes são referências para as demais pessoas, em que sou 
referência para os outros?


www.meritocat.com.br/

Mensagem Diária Mensagem diária (Extraída de uma das leituras do dia) Sexta-feira - 25/07/2014

Ouvir os pastores

14 Voltai, filhos rebeldes – oráculo do SENHOR –, pois eu sou o vosso SENHOR. Vou 
tomar-vos, um de um povoado, dois de uma tribo, para vos reconduzir a Sião. 
15 Dar-vos-ei pastores de acordo com o meu projeto. Eles governarão com 
clarividência e sabedoria (Jr 3,14)

Até que ponto dou atenção aos ensinamentos dos pastores que o 
Senhor me envia?


www.meritocat.com.br/

“Pessoas que abortaram há 35 anos nos ligam e choram muito”

As feridas do aborto são profundas. Se a pessoa não vive um processo de cura, não melhora nem mesmo com a confissão.

“Um aborto destrói muitas vidas. Queremos ajudar a recuperar uma: a sua”. É
assim que Gerard Manresa e Teresa Lamarca, os coordenadores, apresentam o Projeto Rachele, em Barcelona (Espanha). O projeto é uma iniciativa de caráter diocesano que quer oferecer orientação e ajuda às pessoas que sofrem por consequência do 
aborto.

No que consiste o Projeto Rachele?
Em primeiro lugar quer ser uma resposta ao drama do aborto. É uma proposta da Igreja de caráter diocesano formada por uma rede de pessoas entre psicólogos, psiquiatras e sacerdotes formados, de modo particular, para assistir e acompanhar as pessoas que vivem as consequências do aborto. É oferecido um caminho de esperança, de reconciliação e de cura, onde no centro existe sempre o perdão.

Por que teve início na Espanha?
Percebemos que havia uma lacuna. Trata-se de uma sociedade onde o aborto é um direito e libertação, não se prevê a possibilidade que exista contra-indicações e produza consequências negativas para a pessoa. Não se estuda nem mesmo a síndrome pós-aborto, que é muito forte, e quando a pessoa sofre muito, não é compreendida. Oaborto provoca uma ferida que atinge todas as dimensões da pessoa. Encontramo-nos diante de pessoas que abortaram há 35 anos e que nos telefonam e começam a chorar. As feridas do aborto são profundas. Se a pessoa não vive um processo de cura, não melhora nem mesmo com a confissão. As pessoas se sentem culpadas, sobretudo as mulheres, que não se perdoam. Têm necessidade de saber que são perdoadas por Deus e por seus filhos, e ao mesmo tempo que se perdoam.

Toda mulher e todo homem que decide abortar sofre da síndrome pós-aborto?
Ao início existe sempre um período de negação, que pode ser mais ou menos longo, podendo durar até anos. Chega um momento navida, motivado por um fator provocante, onde estas dores despertam. Mais cedo ou mais tarde, termina por eclodir e pode chegar a ser fonte de grande angústia. É um peso que provoca amargura e tristeza, mas também ansiedade, baixa autoestima, sentimentos de culpa e de falência, rancor, isolamento, impotência. Muitas vezes as pessoas sonham com o filho. Estão convencidas que esteja vivo. Também dizem que se trata somente de qualquer célula, mas sabem que tem algo a mais.

O que propõe para curar estas feridas?
A chave é a misericórdia de Deus, mas é preciso antes preparar o terreno. O nosso projeto propõe um itinerário que inicia com o conhecimento e a compreensão daquilo que aconteceu. É preciso abrir as feridas, mesmo se for doloroso, para depois poder curá-las. A ferida do aborto é sobretudo uma ferida interior, espiritual, que se manifesta psicologicamente e também fisicamente. É importante que as pessoas exprimam e reconheçam a própria história. É preciso superar os mecanismos de defesa e abrir-se à verdade. A partir dali os consultores, com o apoio de especialistas, guiam em direção à reconciliação. Uma vez recebido o perdão de Deus, resta um outro passo importante: é preciso passar para o luto e reconciliar-se com o bebê. Ajuda muito saber que o filho vive e perdoa os pais. A experiência nos diz que nas pessoas que completaram o percurso existe um “antes”, e um “depois”.

Homilia do 17º Domingo Comum 27 de Julho de 2014

Mt 13, 44-52
“Vocês compreenderam tudo isso?”
Conclui a leitura do capítulo das parábolas no evangelho de Mateus. Nessa conclusão o autor deixa a sua marca digital.Hoje terminamos a leitura do

capítulo 13 de Mateus, com as últimas três parábolas do Reino - a do tesouro escondido, a da pérola preciosa e a da rede lançada ao mar. Nas primeiras duas, podemos notar duas ênfases - uma sobre o grande valor do achado (simbolizando o Reino) e outra sobre a atitude de quem o acha. A parábola da rede no mar ecoa a mensagem da parábola do campo de trigo e joio, que fez parte do texto do domingo passado.
O contexto histórico do tesouro achado é o do Oriente Médio Antigo, palco de tantas invasões e guerras. Era prática comum enterrar os valores diante da ameaça de uma invasão ou guerra. Só que, muitas vezes, o dono morria na violência, e o tesouro ficava escondido por muito tempo, até ser achado por acaso.
Usando esse exemplo, Jesus nos ensina algo sobre o Reino e sobre a atitude do discípulo diante dele. O Reino de Deus é um valor tão incalculável, que uma pessoa sensata daria tudo para possuí-lo. É importante notar que o texto enfatiza que “cheio de alegria” ele vende todos os seus bens, para poder possuir o valor maior, que é o Reino. A vivência dos valores do Reino, do seguimento de Jesus, deve ser uma alegria e não um peso. Sem dúvida é exigente, pois meias-medidas não servem (ele vende tudo o que tem); mas, o resultado é uma alegria enorme. Não a alegria superficial de um programa de Faustão ou Sílvio Santos, mas uma alegria que brota da profundeza do nosso ser, pois descobrimos a única coisa que não passa e que dá sentido a toda a nossa vida - o Reino de Deus. É pena que, com tanta frequência, conseguimos fazer do seguimento de Jesus um peso, uma chatice, um legalismo, que afasta de Deus em lugar de atrair para Ele. É impressionante como se consegue fazer a Palavra de Deus algo tão chato, e irrelevante!
Mais uma vez, como na parábola do campo de trigo e joio, a última parábola ensina que o Reino, que subsiste na Igreja, congrega santos e pecadores (os bons e maus peixes). A separação final deve ser deixada para a justiça de Deus, enquanto, na vivência diária, devemos mostrar paciência e tolerância, mas, sem indiferença ou comodismo.
O último versículo talvez indique que o autor do Evangelho que denominamos Mateus era um escriba ou doutor da Lei, convertido ao discipulado de Jesus (é bom lembrar que os títulos tradicionais dados aos Evangelhos são somente atribuições. Nenhum evangelho identifica o seu autor, é e consenso entre os exegetas que o Evangelho de Mateus não tenha sido escrito pelo apóstolo daquele nome). Ele está bem enraizado nas “coisas antigas” - ou seja, no Antigo Testamento. Mas está aberto às coisas novas, ou seja, a nova interpretação da Lei que Jesus trouxe. Assim nos ensina algo valioso para o mundo de hoje, tão inconstante e sem raízes de um lado e com a tentação de fechamento no fundamentalismo e intolerância, do outro. Nem tudo que é antigo é ultrapassado e nem tudo que é novidade é boa. Igualmente, nem tudo que é antigo tem que ser preservado e nem toda a novidade deve ser rejeitada. É importante ter critérios, para que não percamos os valores, nem da sabedoria antiga, nem da busca de atualização para os dias de hoje. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça!

Liturgia Diária DIA 27 DE JULHO - DOMINGO 2014

XVII DOMINGO DO TEMO COMUM 
(VERDE, GLÓRIA, CREIO – I SEMANA DO SALTÉRIO)

Antífona da entrada: Deus habita em seu templo santo, reúne seus filhos em sua casa; é ele que dá força e poder a seu povo (Sl 67,6s.36)
Oração do dia
Ó Deus, sois o amparo dos que em vós esperam e, sem vosso auxílio, ninguém é forte, ninguém é santo; redobrai de amor para conosco, para que, conduzidos por vós, usemos de tal modo os bens que passam, que possamos abraçar os que não passam. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
Leitura (1 Reis 3,5.7-12)
Leitura do primeiro livro dos Reis.
Naqueles dias, 3 5 o Senhor apareceu a Salomão em sonhos em Gabaon durante a noite, e disse-lhe: "Pede-me o que queres que eu te dê".
7" Sois vós, portanto, ó Senhor meu Deus, que fizestes reinar o vosso servo em lugar de Davi, meu pai. Mas eu não passo de um adolescente, e não sei como me conduzir.
8 E, sem embargo, vosso servo se encontra no meio de vosso povo escolhido, um povo imenso, tão numeroso que não se pode contar, nem calcular.
9 Dai, pois, ao vosso servo um coração sábio, capaz de julgar o vosso povo e discernir entre o bem e o mal; pois sem isso, quem poderia julgar o vosso povo, um povo tão numeroso?"
10 O Senhor agradou-se dessa oração, e disse a Salomão:
11 "Pois que me fizeste esse pedido, e não pediste nem longa vida, nem riqueza, nem a morte de teus inimigos, mas sim inteligência para praticar a justiça,
12 vou satisfazer o teu desejo; dou-te um coração tão sábio e inteligente, como nunca houve outro igual antes de ti e nem haverá depois de ti".
Palavra do Senhor.
 
Salmo responsorial 118/119
Como eu amo, Senhor, a vossa lei, vossa palavra!
 
É esta a parte que escolhi por minha herança:
observar vossas palavras ó Senhor!
A lei de vossa boca, para mim,
vale mais do que milhões em ouro e prata.
 
Vosso amor seja um consolo para mim,
conforme a vosso servo prometestes.
Venha a mim o vosso amor e viverei,
porque tenho em vossa lei o meu prazer!
 
Por isso amo os mandamentos que nos destes
mais que o ouro, muito mais que o ouro fino!
Por isso eu sigo bem direito as vossas leis,
detesto todos os caminhos da mentira.
 
Maravilhosos são os vossos testemunhos,
eis por que meu coração os observa!
Vossa palavra, ao revelar-se, me ilumina,
ela dá sabedoria aos pequeninos.
 
 
Leitura (Romanos 8,28-30)
Leitura da carta de são Paulo aos Romanos.
Irmãos, 8 28 sabemos que todas as coisas concorrem para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são os eleitos, segundo os seus desígnios.
29 Os que ele distinguiu de antemão, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que este seja o primogênito entre uma multidão de irmãos.
30 E aos que predestinou, também os chamou; e aos que chamou, também os justificou; e aos que justificou, também os glorificou.
Palavra do Senhor.
 
Evangelho (Mateus 13,44-52 ou 44-46)
Aleluia, aleluia, aleluia.
Eu te louvo, ó Pai santo, Deus do céu, Senhor da terra: os mistérios do teu reino aos pequenos, Pai, revelas! (Mt 11,25)
 
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.
Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos, 13 44 "O Reino dos céus é também semelhante a um tesouro escondido num campo. Um homem o encontra, mas o esconde de novo. E, cheio de alegria, vai, vende tudo o que tem para comprar aquele campo.
45 O Reino dos céus é ainda semelhante a um negociante que procura pérolas preciosas.
46 Encontrando uma de grande valor, vai, vende tudo o que possui e a compra.
47 O Reino dos céus é semelhante ainda a uma rede que, jogada ao mar, recolhe peixes de toda espécie.
48 Quando está repleta, os pescadores puxam-na para a praia, sentam-se e separam nos cestos o que é bom e jogam fora o que não presta.
49 Assim será no fim do mundo: os anjos virão separar os maus do meio dos justos
50 e os arrojarão na fornalha, onde haverá choro e ranger de dentes.
51 Compreendestes tudo isto?" "Sim, Senhor", responderam eles.
52 "Por isso, todo escriba instruído nas coisas do Reino dos céus é comparado a um pai de família que tira de seu tesouro coisas novas e velhas".
Palavra da Salvação.


 
Comentário ao Evangelho
O ABSOLUTO DO REINO
O centro de convergência da parábola do tesouro escondido e da pérola preciosa encontra-se na decisão do agricultor e do comerciante, de desfazer-se de todos os seus bens para adquirir o bem encontrado, por ser sobremaneira precioso. O bom senso mostrou-lhes a conveniência de investir tudo na aquisição do bem maior. A perda redundaria em ganho, a loucura revelar-se-ia sabedoria.
Assim comporta-se o discípulo em relação ao Reino. Sua descoberta leva-o a redimensionar toda a sua vida, dando um sentido novo a cada um de seus aspectos, subordinando-os ao absoluto do Reino. O discípulo predispõe-se a qualquer sacrifício. Nada lhe parece demasiadamente pesado, quando se trata de colocar o Reino e seus valores no centro de sua existência.
O discípulo vê-se confrontado com a responsabilidade de fazer uma opção que revolucionará toda a sua vida. Nem sempre estará seguro do passo que deverá dar. Daí a possibilidade de se deixar levar pelo medo e pela incerteza. A convicção do discípulo, ao tomar esta decisão, dependerá do modo como foi tocado pelo Reino. Quanto mais profunda for a experiência tanto mais seguro estará o discípulo. Uma experiência superficial dificilmente levará a uma opção radical. Aí se revela quem, de fato, fez-se discípulo do Reino.
 
Oração
Espírito de radicalidade, reforça minha opção pelo Reino e seus valores, para que eu o coloque sempre mais como o centro de minha vida.
 
(O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado neste Portal a cada mês)
 
Sobre as oferendas
Acolhei, ó Pai, os dons que recebemos da vossa bondade e trazemos a este altar. Fazei que estes sagrados mistérios, pela força da vossa graça, nos santifiquem na vida presente e nos conduzam à eterna alegria. Por Cristo, nosso Senhor.
Antífona da comunhão: Bendize, ó minha alma, ao Senhor, não esqueças nenhum de seus favores! (Sl 102,2)
Depois da comunhão
Recebemos, ó Deus, este sacramento, memorial permanente da paixão do vosso filho; fazei que o dom da vossa inefável caridade possa servir à nossa salvação. Por Cristo, nosso Senhor.


Dom Total

Salmo 17º Domingo Tempo Comum - 27 DE JULHO DE 2014

1ª Opção: 


* Salmo 118 *
17º Domingo Tempo Comum
Cifra & Letra (Word)


MP3 (música)
Ficha técnica:
 Voz e melodia: Léo Mantovani
 Arranjos e execução: Deyvson Leite
 Vinheta de abertura: Alex Olliveira
(Banda Canal da Graça)
 Divulgação e Apoio: Rafael de Angeli
& Portal da Música Católica

Saiba mais sobre Léo Mantovani (e/ou entre em contato):
 E-mail: contatos@leomantovani.com.br
 WebSite Oficial: leomantovani.com.br
 Facebook: fb.com/leomantovani Twitter: twitter.com/leo_mantovani
 Fé&Som: feesom.com/leomantovani

 Comprar ou conhecer o CD de Léo Mantovani? Clique AQUI!

2ª Opção: 

Salmo 118, que será entoado na liturgia da 17ª Semana do Tempo Comum, dia 27 de julho de 2014.

"Como eu amo, Senhor, a vossa lei, vossa palavra!"



:: Cifra do Salmo 118

O desejo de Jesus é que todos os seus seguidores conheçam e acolham o Reino de Deus. Contando parábolas, o Mestre compara o Reino a um tesouro escondido no campo, a um comprador de pérolas preciosas e também a uma rede lançada ao mar. Acolher o Reino exige decisão e comprometimento pessoal. Salomão pediu sabedoria e discernimento para governar seu povo. Nesta Eucaristia, vamos pedir a graça de encontrar e adquirir o tesouro que vale a pena: Jesus e seu reinado.(Liturgia)




Portal da Música Católica
Canção Nova

Evangelho do Dia: Ano A - Domingo 27 de julho de 2014

Mateus 13,44-52 ou 44-46

Aleluia, aleluia, aleluia.
Eu te louvo, ó Pai santo, Deus do céu, Senhor da terra: os mistérios do teu reino aos pequenos, Pai, revelas! (Mt 11,25)
 
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.
Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos, 13 44 "O Reino dos céus é também semelhante a um tesouro escondido num campo. Um homem o encontra, mas o esconde de novo. E, cheio de alegria, vai, vende tudo o que tem para comprar aquele campo.
45 O Reino dos céus é ainda semelhante a um negociante que procura pérolas preciosas.
46 Encontrando uma de grande valor, vai, vende tudo o que possui e a compra.
47 O Reino dos céus é semelhante ainda a uma rede que, jogada ao mar, recolhe peixes de toda espécie.
48 Quando está repleta, os pescadores puxam-na para a praia, sentam-se e separam nos cestos o que é bom e jogam fora o que não presta.
49 Assim será no fim do mundo: os anjos virão separar os maus do meio dos justos
50 e os arrojarão na fornalha, onde haverá choro e ranger de dentes.
51 Compreendestes tudo isto?" "Sim, Senhor", responderam eles.
52 "Por isso, todo escriba instruído nas coisas do Reino dos céus é comparado a um pai de família que tira de seu tesouro coisas novas e velhas".
Palavra da Salvação.


 

Comentário do Evangelho
O ABSOLUTO DO REINO
O centro de convergência da parábola do tesouro escondido e da pérola preciosa encontra-se na decisão do agricultor e do comerciante, de desfazer-se de todos os seus bens para adquirir o bem encontrado, por ser sobremaneira precioso. O bom senso mostrou-lhes a conveniência de investir tudo na aquisição do bem maior. A perda redundaria em ganho, a loucura revelar-se-ia sabedoria.
Assim comporta-se o discípulo em relação ao Reino. Sua descoberta leva-o a redimensionar toda a sua vida, dando um sentido novo a cada um de seus aspectos, subordinando-os ao absoluto do Reino. O discípulo predispõe-se a qualquer sacrifício. Nada lhe parece demasiadamente pesado, quando se trata de colocar o Reino e seus valores no centro de sua existência.
O discípulo vê-se confrontado com a responsabilidade de fazer uma opção que revolucionará toda a sua vida. Nem sempre estará seguro do passo que deverá dar. Daí a possibilidade de se deixar levar pelo medo e pela incerteza. A convicção do discípulo, ao tomar esta decisão, dependerá do modo como foi tocado pelo Reino. Quanto mais profunda for a experiência tanto mais seguro estará o discípulo. Uma experiência superficial dificilmente levará a uma opção radical. Aí se revela quem, de fato, fez-se discípulo do Reino.

Oração
Espírito de radicalidade, reforça minha opção pelo Reino e seus valores, para que eu o coloque sempre mais como o centro de minha vida.

(O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado neste Portal a cada mês)
 
Leitura
1 Reis 3,5.7-12
Leitura do primeiro livro dos Reis.
Naqueles dias, 3 5 o Senhor apareceu a Salomão em sonhos em Gabaon durante a noite, e disse-lhe: "Pede-me o que queres que eu te dê".
7" Sois vós, portanto, ó Senhor meu Deus, que fizestes reinar o vosso servo em lugar de Davi, meu pai. Mas eu não passo de um adolescente, e não sei como me conduzir.
8 E, sem embargo, vosso servo se encontra no meio de vosso povo escolhido, um povo imenso, tão numeroso que não se pode contar, nem calcular.
9 Dai, pois, ao vosso servo um coração sábio, capaz de julgar o vosso povo e discernir entre o bem e o mal; pois sem isso, quem poderia julgar o vosso povo, um povo tão numeroso?"
10 O Senhor agradou-se dessa oração, e disse a Salomão:
11 "Pois que me fizeste esse pedido, e não pediste nem longa vida, nem riqueza, nem a morte de teus inimigos, mas sim inteligência para praticar a justiça,
12 vou satisfazer o teu desejo; dou-te um coração tão sábio e inteligente, como nunca houve outro igual antes de ti e nem haverá depois de ti".
Palavra do Senhor.
 
Salmo 118/119
Como eu amo, Senhor, a vossa lei, vossa palavra!

É esta a parte que escolhi por minha herança:
observar vossas palavras ó Senhor!
A lei de vossa boca, para mim,
vale mais do que milhões em ouro e prata.

Vosso amor seja um consolo para mim,
conforme a vosso servo prometestes.
Venha a mim o vosso amor e viverei,
porque tenho em vossa lei o meu prazer!

Por isso amo os mandamentos que nos destes
mais que o ouro, muito mais que o ouro fino!
Por isso eu sigo bem direito as vossas leis,
detesto todos os caminhos da mentira.

Maravilhosos são os vossos testemunhos,
eis por que meu coração os observa!
Vossa palavra, ao revelar-se, me ilumina,
ela dá sabedoria aos pequeninos.

 
Oração
Ó Deus, sois o amparo dos que em vós esperam e, sem vosso auxílio, ninguém é forte, ninguém é santo; redobrai de amor para conosco, para que, conduzidos por vós, usemos de tal modo os bens que passam, que possamos abraçar os que não passam. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.


Dom Total

Liturgia Diária DIA 26 DE JULHO - SÁBADO 2014

SANTOS JOAQUIM E ANA 
PAIS DE MARIA

Antífona da entrada: Festejamos santa Ana e são Joaquim, pais da virgem Maria: Deus lhes concedeu a bênção prometida a todos os povos.
Oração do dia
Senhor, Deus de nossos pais, que concedestes a são Joaquim e santa Ana a graça de darem a vida à mãe do vosso Filho, Jesus, fazei que, pela intercessão de ambos, alcancemos a salvação prometida a vosso povo. Por nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
Leitura (Eclesiástico 44,1.10-15)
Leitura do livro do Eclesiástico.
44 1 Façamos o elogio dos homens ilustres, que são nossos antepassados, em sua linhagem.
10 Os primeiros, porém, foram homens de misericórdia; nunca foram esquecidas as obras de sua caridade.
11 Na sua posteridade permanecem os seus bens.
12 Os filhos de seus filhos são uma santa linhagem, e seus descendentes mantêm-se fiéis às alianças.
13 Por causa deles seus filhos permanecem para sempre, e sua posteridade, assim como sua glória, não terá fim.
14 Seus corpos foram sepultados em paz, seu nome vive de século em século.
15 Proclamem os povos sua sabedoria, e cante a assembléia os seus louvores!
Palavra do Senhor.
 
 
Salmo responsorial 131/132
O Senhor vai dar-lhe o trono 
de seu pai, o rei Davi. 

O Senhor fez a Davi um juramento,
uma promessa que jamais renegará:
“Um herdeiro que é fruto do teu ventre
colocarei sobre o trono em teu lugar!”

Pois o Senhor quis para si Jerusalém
e a desejou para que fosse sua morada:
“Eis o lugar do meu repouso para sempre,
eu fico aqui: este é o lugar que preferi!”

“De Davi farei brotar um forte herdeiro,
acenderei ao meu ungido uma lâmpada.
Cobrirei de confusão seus inimigos,
mas sobre ele brilhará minha coroa!”
 
Evangelho (Mateus 13,16-17)
Aleluia, aleluia, aleluia. 
Esperavam estes pais a redenção de Israel, e o Espírito do Senhor estava sobre eles (Lc 2,25). 

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.
13 16 Disse Jesus aos seus discípulos: “Quanto a vós, bem-aventurados os vossos olhos, porque vêem! Ditosos os vossos ouvidos, porque ouvem!
17 Eu vos declaro, em verdade: muitos profetas e justos desejaram ver o que vedes e não o viram, ouvir o que ouvis e não ouviram”.
Palavra da Salvação.


 
Comentário ao Evangelho
Temos aqui uma proclamação de bem-aventurança aos olhos e ouvidos que vêm e ouvem a Boa Nova de Jesus. Ela é encontrada, também, em Lc 10,23-24. Enquanto que em Mateus ela está inserida na explicação da parábola do semeador, em Lucas ela vem complementando a exultação de alegria de Jesus, seguida do louvor ao Pai, pelas coisas que são reveladas aos pequeninos. Encontramos este tipo de exortação no Antigo e no Novo Testamento, bem como na literatura grega. A palavra "bem-aventurado" é uma tradução do grego "makários", freqüentemente traduzido também por "felizes". O conteúdo do termo é o de um estado de felicidade divina. Marcos em seu evangelho, não usa esta palavra. João a usa apenas por duas vezes: "Sabendo destas coisas, vós sereis bem-aventurados se as praticardes" (Jo 13,17) e "... bem-aventurados aqueles que não viram e creram" (Jo 20,29). Esta bem-aventurança de João completa a bem-aventurança de hoje: se os que conviveram com Jesus, o viram e ouviram, são bem-aventurados, os que vieram depois também são bem-aventurados pela fé com que reconhecem a presença de Jesus vivo entre eles, no próximo e na comunidade. Mateus reúne oito bem-aventuranças no início de seu Sermão da Montanha e Lucas reúne quatro no sermão da planície. Várias outras bem-aventuranças estão espalhadas em seus evangelhos. Joaquim e Ana, pai e mãe de Maria segundo a tradição, são bem-aventurados por sua filha.
 
Sobre as oferendas
Aceitai, ó Deus, as oferendas da nossa devoção e fazei-nos dignos de participar da bênção que prometestes a Abraão e sua descendência. Por Cristo, nosso Senhor.
Antífona da comunhão: Receberam a bênção do Senhor e a misericórdia de Deus, seu salvador (Sl 23,5).
Depois da comunhão
Ó Deus, quisestes que vosso Filho nascesse de uma família humana, para que, por desígnio admirável, recebêssemos de vós nova vida; santificai, pelo espírito de adoção, os que alimentastes com o pão dos filhos. Por Cristo, nosso Senhor.
Santo do Dia / Comemoração (SANTA ANA E SÃO JOAQUIM)
Ana e seu marido Joaquim já estavam com idade avançada e ainda não tinham filhos. O que, para os judeus de sua época, era quase um desgosto e uma vergonha também. Os motivos são óbvios, pois os judeus esperavam a chegada do messias, como previam as sagradas profecias. 

Assim, toda esposa judia esperava que dela nascesse o Salvador e, para tanto, ela tinha de dispor das condições para servir de veículo aos desígnios de Deus, se assim ele o desejasse. Por isso a esterilidade causava sofrimento e vergonha e é nessa situação constrangedora que vamos encontrar o casal. 

Mas Ana e Joaquim não desistiram. Rezaram por muito e muito tempo até que, quando já estavam quase perdendo a esperança, Ana engravidou. Não se sabe muito sobre a vida deles, pois passaram a ser citados a partir do século II, mas pelos escritos apócrifos, que não são citados na Bíblia, porque se entende que não foram inspirados por Deus. E eles apenas revelam o nome dos pais da Virgem Maria, que seria a Mãe do Messias. 

No Evangelho, Jesus disse: "Dos frutos conhecereis a planta". Assim, não foram precisos outros elementos para descrever-lhes a santidade, senão pelo exemplo de santidade da filha Maria. Afinal, Deus não escolheria filhos sem princípios ou dignidade para fazer deles o instrumento de sua ação. 

Maria, ao nascer no dia 8 de setembro de um ano desconhecido, não só tirou dos ombros dos pais o peso de uma vida estéril, mas ainda recompensou-os pela fé, ao ser escolhida para, no futuro, ser a Mãe do Filho de Deus. 

A princípio, apenas santa Ana era comemorada e, mesmo assim, em dias diferentes no Ocidente e no Oriente. Em 25 de julho pelos gregos e no dia seguinte pelos latinos. A partir de 1584, também são Joaquim passou a ser cultuado, no dia 20 de março. Só em 1913 a Igreja determinou que os avós de Jesus Cristo deviam ser celebrados juntos, no dia 26 de julho.


Dom Total

SALMO DO DIA DIA 26 DE JULHO - SÁBADO 2014

Salmo responsorial 131/132
O Senhor vai dar-lhe o trono 
de seu pai, o rei Davi. 

O Senhor fez a Davi um juramento,
uma promessa que jamais renegará:
“Um herdeiro que é fruto do teu ventre
colocarei sobre o trono em teu lugar!”

Pois o Senhor quis para si Jerusalém
e a desejou para que fosse sua morada:
“Eis o lugar do meu repouso para sempre,
eu fico aqui: este é o lugar que preferi!”

“De Davi farei brotar um forte herdeiro,
acenderei ao meu ungido uma lâmpada.
Cobrirei de confusão seus inimigos,
mas sobre ele brilhará minha coroa!”


Dom Total

Evangelho do Dia: Ano A - Sábado 26 de julho de 2014

Mateus 13,16-17

Aleluia, aleluia, aleluia. 
Esperavam estes pais a redenção de Israel, e o Espírito do Senhor estava sobre eles (Lc 2,25). 

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.
13 16 Disse Jesus aos seus discípulos: “Quanto a vós, bem-aventurados os vossos olhos, porque vêem! Ditosos os vossos ouvidos, porque ouvem!
17 Eu vos declaro, em verdade: muitos profetas e justos desejaram ver o que vedes e não o viram, ouvir o que ouvis e não ouviram”.
Palavra da Salvação.


 

Comentário do Evangelho
Temos aqui uma proclamação de bem-aventurança aos olhos e ouvidos que vêm e ouvem a Boa Nova de Jesus. Ela é encontrada, também, em Lc 10,23-24. Enquanto que em Mateus ela está inserida na explicação da parábola do semeador, em Lucas ela vem complementando a exultação de alegria de Jesus, seguida do louvor ao Pai, pelas coisas que são reveladas aos pequeninos. Encontramos este tipo de exortação no Antigo e no Novo Testamento, bem como na literatura grega. A palavra "bem-aventurado" é uma tradução do grego "makários", freqüentemente traduzido também por "felizes". O conteúdo do termo é o de um estado de felicidade divina. Marcos em seu evangelho, não usa esta palavra. João a usa apenas por duas vezes: "Sabendo destas coisas, vós sereis bem-aventurados se as praticardes" (Jo 13,17) e "... bem-aventurados aqueles que não viram e creram" (Jo 20,29). Esta bem-aventurança de João completa a bem-aventurança de hoje: se os que conviveram com Jesus, o viram e ouviram, são bem-aventurados, os que vieram depois também são bem-aventurados pela fé com que reconhecem a presença de Jesus vivo entre eles, no próximo e na comunidade. Mateus reúne oito bem-aventuranças no início de seu Sermão da Montanha e Lucas reúne quatro no sermão da planície. Várias outras bem-aventuranças estão espalhadas em seus evangelhos. Joaquim e Ana, pai e mãe de Maria segundo a tradição, são bem-aventurados por sua filha.
 
Leitura
Eclesiástico 44,1.10-15
Leitura do livro do Eclesiástico.
44 1 Façamos o elogio dos homens ilustres, que são nossos antepassados, em sua linhagem.
10 Os primeiros, porém, foram homens de misericórdia; nunca foram esquecidas as obras de sua caridade.
11 Na sua posteridade permanecem os seus bens.
12 Os filhos de seus filhos são uma santa linhagem, e seus descendentes mantêm-se fiéis às alianças.
13 Por causa deles seus filhos permanecem para sempre, e sua posteridade, assim como sua glória, não terá fim.
14 Seus corpos foram sepultados em paz, seu nome vive de século em século.
15 Proclamem os povos sua sabedoria, e cante a assembléia os seus louvores!
Palavra do Senhor.

 
Salmo 131/132
O Senhor vai dar-lhe o trono 
de seu pai, o rei Davi. 

O Senhor fez a Davi um juramento,
uma promessa que jamais renegará:
“Um herdeiro que é fruto do teu ventre
colocarei sobre o trono em teu lugar!”

Pois o Senhor quis para si Jerusalém
e a desejou para que fosse sua morada:
“Eis o lugar do meu repouso para sempre,
eu fico aqui: este é o lugar que preferi!”

“De Davi farei brotar um forte herdeiro,
acenderei ao meu ungido uma lâmpada.
Cobrirei de confusão seus inimigos,
mas sobre ele brilhará minha coroa!”
 
Oração
Senhor, Deus de nossos pais, que concedestes a são Joaquim e santa Ana a graça de darem a vida à mãe do vosso Filho, Jesus, fazei que, pela intercessão de ambos, alcancemos a salvação prometida a vosso povo. Por nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.


Dom Total

Liturgia Diária DIA 25 DE JULHO - SEXTA-FEIRA 2014

SÃO TIAGO MAIOR 

APÓSTOLO E EVANGELIZADOR 
(VERMELHO, GLÓRIA, PREFÁCIO DOS APÓSTOLOS – OFÍCIO DA FESTA)

Antífona da entrada: Andando ao longo do mar da Galiléia, Jesus viu Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão, que consertavam suas redes. E ele os chamou (Mt 4,18.21).
Oração do dia
Deus eterno e todo-poderoso, que, pelo sangue de são Tiago, consagrastes as primícias dos trabalhos dos apóstolos, concedei que a vossa Igreja seja confirmada pelo seu testemunho e sustentada pela sua proteção. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
Leitura (2 Coríntios 4,7-15)
Leitura da segunda carta de são Paulo aos Coríntios.
Irmãos, 4 7 temos este tesouro em vasos de barro, para que transpareça claramente que este poder extraordinário provém de Deus e não de nós.
8 Em tudo somos oprimidos, mas não sucumbimos. Vivemos em completa penúria, mas não desesperamos.
9 Somos perseguidos, mas não ficamos desamparados. Somos abatidos, mas não somos destruídos.
10 Trazemos sempre em nosso corpo os traços da morte de Jesus para que também a vida de Jesus se manifeste em nosso corpo.
11 Estando embora vivos, somos a toda hora entregues à morte por causa de Jesus, para que também a vida de Jesus apareça em nossa carne mortal.
12 Assim em nós opera a morte, e em vós a vida.
13 Animados deste espírito de fé, conforme está escrito: "Eu cri, por isto falei", também nós cremos, e por isso falamos.
14 Pois sabemos que aquele que ressuscitou o Senhor Jesus, nos ressuscitará também a nós com Jesus e nos fará comparecer diante dele convosco.
15 E tudo isso se faz por vossa causa, para que a graça se torne copiosa entre muitos e redunde o sentimento de gratidão, para glória de Deus.
Palavra do Senhor.
 
Salmo responsorial 125/126
Os que lançam as sementes entre lágrimas
ceifarão com alegria.
 
Quando o Senhor reconduziu nossos cativos,
parecíamos sonhar;
encheu-se de sorriso nossa boca,
nossos lábios, de canções.
 
Entre os gentios se dizia: “Maravilhas
fez com eles o Senhor!”
Sim, maravilhas fez conosco o Senhor,
exultemos de alegria!
 
Mudai a nossa sorte, ó Senhor,
como torrentes no deserto.
Os que lançam as sementes entre lágrimas
ceifarão com alegria.
 
Chorando de tristeza sairão,
espalhando suas sementes;
cantando de alegria voltarão,
carregando os seus feixes!
 
 
Evangelho (Mateus 20,20-28)
Aleluia, aleluia, aleluia.
Eu vos designei para que vades e deis frutos, e o vosso fruto permaneça, assim disse o Senhor (Jo 15,16).
 
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.
Naquele tempo, 20 20 aproximou-se a mãe dos filhos de Zebedeu com seus filhos e prostrou-se diante de Jesus para lhe fazer uma súplica.
21 Perguntou-lhe ele: "Que queres?" Ela respondeu: "Ordena que estes meus dois filhos se sentem no teu Reino, um à tua direita e outro à tua esquerda".
22 Jesus disse: "Não sabeis o que pedis. Podeis vós beber o cálice que eu devo beber?" "Sim", disseram-lhe.
23 "De fato, bebereis meu cálice. Quanto, porém, ao sentar-vos à minha direita ou à minha esquerda, isto não depende de mim vo-lo conceder. Esses lugares cabem àqueles aos quais meu Pai os reservou".
24 Os dez outros, que haviam ouvido tudo, indignaram-se contra os dois irmãos.
25 Jesus, porém, os chamou e lhes disse: "Sabeis que os chefes das nações as subjugam, e que os grandes as governam com autoridade.
26 Não seja assim entre vós. Todo aquele que quiser tornar-se grande entre vós, se faça vosso servo.
27 E o que quiser tornar-se entre vós o primeiro, se faça vosso escravo.
28 Assim como o Filho do Homem veio, não para ser servido, mas para servir e dar sua vida em resgate por uma multidão".
Palavra da Salvação.
 
Comentário ao Evangelho
Tiago e João são os filhos de Zebedeu. O Evangelho de Marcos nomeia os dois, explicitamente, nesta cena; porém, Mateus menciona a mãe deles como sendo quem faz o pedido a Jesus. Talvez Mateus queira eximir os homens de tal pedido equivocado, que reflete a ambição do poder, quando Jesus dá pleno testemunho de que veio para servir humildemente, com amor. Em resposta, ele rejeita o comum abuso de poder em vigor nas sociedades, propondo um novo relacionamento entre as pessoas. Além de Tiago, irmão de João, identificado como "Tiago Maior", no Segundo Testamento é mencionado outro Tiago, "o irmão do Senhor", ou "Tiago Menor", que foi o chefe da Igreja de Jerusalém.
(O comentário litúrgico é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado neste Portal a cada mês) 
 
 
Sobre as oferendas
Purificai-nos, ó Deus, pela participação na paixão do vosso filho, para que, na festa de são Tiago, o primeiro dos apóstolos a beber o cálice do Senhor, ofereçamos um sacrifício que vos agrade. Por Cristo, nosso Senhor.
Antífona da comunhão: Beberam do cálice do Senhor e se tornaram amigos de Deus (Mt 20,22s).
Depois da comunhão
Ajudai-nos, Senhor nosso Deus, pela intercessão do apóstolo São Tiago, em cuja festa recebemos com alegria os vossos dons sagrados. Por Cristo, nosso Senhor.
Santo do Dia / Comemoração (SÃO TIAGO MAIOR)
Tiago nasceu doze anos antes de Cristo, viveu mais anos do que ele e passou para a eternidade junto a seu Mestre. Tiago, o Maior, nasceu na Galiléia e era filho de Zebedeu e Salomé, segundo as Sagradas Escrituras. Era, portanto, irmão de João Evangelista, os "Filhos do Trovão", como os chamara Jesus. É sempre citado como um dos três primeiros apóstolos, além de figurar entre os prediletos de Jesus, juntamente com Pedro e André. É chamado de "maior" por causa do apóstolo homônimo, Tiago, filho de Alfeu, conhecido como "menor". 

Nas várias passagens bíblicas, podemos perceber que Jesus possuía apóstolos escolhidos para testemunharem acontecimentos especiais na vida do Redentor. Um era Tiago, o Maior, que constatamos ao seu lado na cura da sogra de Pedro, na ressurreição da filha de Jairo, na transfiguração do Senhor e na sua agonia no horto das Oliveiras. 

Consta que, depois da ressurreição de Cristo, Tiago rumou para a Espanha, percorrendo-a de norte a sul, fazendo sua evangelização, sendo por isso declarado seu padroeiro. Mais tarde, voltou a Jerusalém, onde converteu centenas de pessoas, até mesmo dois mágicos que causavam confusão entre o povo com suas artes diabólicas. Até que um dia lhe prepararam uma cilada, fazendo explodir um motim como se fosse ele o culpado. Assim, foi preso e acusado de causar sublevação entre o povo. A pena para esse crime era a morte. 

O juiz foi o cruel rei Herodes Antipas, um terrível e incansável perseguidor dos cristãos. Ele lhe impôs logo a pena máxima, ordenando que fosse flagelado e depois decapitado. A sentença foi executada durante as festas pascais no ano 42. Assim, Tiago, o Maior, tornou-se o primeiro dos apóstolos a derramar seu sangue pela fé em Jesus Cristo. 

No século VIII, quando a Palestina caiu em poder dos muçulmanos, um grupo de espanhóis trouxe o esquife onde repousavam os restos de são Tiago, o Maior, à cidade espanhola de Iria. Segundo uma antiga tradição da cidade, no século IX o bispo de lá teria visto uma grande estrela iluminando um campo, onde foi encontrado o túmulo contendo o esquife do apóstolo padroeiro. E a Espanha, que nesta ocasião lutava contra a invasão dos bárbaros muçulmanos, conseguiu vencê-los e expulsá-los com a sua ajuda invisível. 

Mais tarde, naquele local, o rei Afonso II mandou construir uma igreja e um mosteiro, dedicados a são Tiago, o Maior, com isso a cidade de Iria passou a chamar-se Santiago de Compostela, ou seja, do campo da estrela. Desde aquele tempo até hoje, o santuário de Santiago de Compostela é um dos mais procurados pelos peregrinos do mundo inteiro, que fazem o trajeto a pé. 

Essa rota, conhecida como "caminho de Santiago de Compostela", foi feita também pelo papa João Paulo II em 1989. Acompanhado por milhares de jovens do mundo inteiro, foi venerar as relíquias do apóstolo são Tiago, o Maior, depositadas na magnífica catedral das seis naves, concluída em 1122.


Dom Total